Strict Standards: Non-static method JSite::getMenu() should not be called statically, assuming $this from incompatible context in /home/penela/public_html/formacao/templates/bombeirospenela/index.php on line 164

Strict Standards: Non-static method JApplication::getMenu() should not be called statically, assuming $this from incompatible context in /home/penela/public_html/formacao/includes/application.php on line 523

Formação

A Soda Cáustica em Solução

Imprimir
Escrito por Ana Brásio



A soda caústica em solução (nome comercial) é uma solução aquosa de hidróxido de sódio - NaOH - (nome químico) na proporção aproximada de 50%.



Cumpre as especificações da Norma IRAM 41129-1, tipo III. É um líquido claro e incolor, solúvel em água, metanol, etanol e insolúvel em éter e acetona.

Reage de forma exotérmica com a água e é produzido por electrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio (salmoura), sendo produzido juntamente com o cloro.

É altamente corrosivo e pode produzir queimaduras, cicatrizes e cegueira devido à sua elevada reactividade.



Tal como o cloro liquefeito, é um dos químicos industriais de maior uso, sendo um ingrediente necessário em muitos dos processos de fabricação, nomeadamente em:

- Deslignificação da pasta celulósica na indústria papeleira.
- Bactericida para a potabilidade da água.
- Desinfectante e germicida.
- Descolorante na indústria têxtil.
- Agente de cloração na síntese de produtos orgânicos na indústria química.
- Utilizado no processamento de carne, peixe, frutas e vegetais.
- Reactivo na indústria de pigmentos.
- Agente de extracção, purificação, recuperação, separação e tratamento na indústria metalúrgica.
- Utilizado no tratamento de efluentes industriais.
- É empregado no tratamento da água para piscinas.

Através de consulta no software Matérias Perigosas podemos inferir a seguinte informação acerca da solução de soda cáustica:

Solução de soda cáustica
N.º ONU: 1824
N.º Perigo: 80

Características:
- Matéria corrosiva
- Risco de queimaduras graves por contacto com a pele, olhos e mucosas
- Risco grave de intoxicação por inalação, ingestão ou absorção cutânea

Segurança:
- Afastar os curiosos
- Assinalar o perigo e estabelecer um cordão de segurança
- Prevenir as autoridades policiais
- Manter-se a favor do vento
- Prevenir todas as pessoas do perigo de queimaduras e intoxicação

Equipamento:
- Fato isolado de protecção total para intervenção na zona sinistrada
- Aparelho respiratório isolante

Plano de Incêndio:
- Não utilizar água excepto se pulverizada e apenas para arrefecer o reservatório exposto ao fogo, desde que se verifique não existir fuga do produto
- Actuar com o pó químico ou CO2

Socorros:
- Afastar a vítima da zona perigosa, mantendo-a em repouso
- Em caso de perda de conhecimento (inconsciência) colocar a vítima em posição lateral de segurança e vigiar as funções cardíaca e respiratória
- Em caso de insuficiência respiratória (consciente ou inconsciente), administrar oxigénio e vigiar as funções cardíaca e respiratória
- Em caso de paragem respiratória e/ou circulatória proceder à ressuscitação cardio-respiratória (ventilação artificial e compressão cardíaca externa)
- Em caso de hemorragias fazer o controlo e prevenir o choque
- Em caso de os olhos e a pele serem atingidos pela matéria, lavar abundantemente com água, pelo menos durante 15 min
- Retirar vestuário e calçado contaminados excepto as partes aderentes a zonas queimadas
- Não provocar vómito em vítimas de intoxicação e contactar o Centro de Informação Anti-Venenos (Telefone: 808 250143)
- Proceder à evacuação da vítima após a sua estabilização

Índice | Continuar


Copyright 2012. Free Joomla 2.5 templates.